‘Projeto Cegonha’ inspeciona Centro de Parto Normal em Pau da Lima


O Centro de Parto Normal Marieta de Souza Pereira, em Pau da Lima, foi visitado na manhã de hoje, dia 2, por uma equipe de servidores e pela promotora de Justiça Mirella Brito, coordenadora do ‘Projeto Cegonha: Efetivando a Dignidade’, do Ministério Público estadual. Segundo a promotora de Justiça, o Centro de Parto Normal possui cinco leitos totalmente equipados para o parto de gestantes de risco habitual, contando com laboratório próprio para realização dos exames necessários durante o pré-natal, inclusive aparelho de ultrassom. “O equipamento de saúde está muito bem estruturado, com atendimento de diversos profissionais como doulas, enfermeiras obstetras, médicos obstetras e pediatras”, afirmou. 

A promotora de Justiça complementou que o Centro de Parto Normal possui ambiência adequada conforme preconizado pela normativa da Rede Cegonha, atendendo gestantes de Salvador e de municípios do interior da Bahia que chegam ao local, inclusive gestantes que não tenham feito pré-natal na unidade. Conta também com ambulância equipada para o transporte de gestantes que precisem de eventuais atendimentos médicos que não possam ser prestados no local. Durante a visita, a promotora de Justiça Mirella Brito ouviu duas parturientes que estavam internadas e elas relataram excelência no atendimento médico prestado. “Elas informaram que não houve qualquer intercorrência no parto e foram respeitados todos os seus desejos, principalmente quanto à posição que escolheram para parir”, afirmou. No entanto, mesmo com capacidade para realização de até 90 partos por mês, no mês de abril foram realizados 56 partos no Centro de Parto Normal.

Inspeção na Albert Sabin

Já na Maternidade Albert Sabin, outro espaço visitado pelo ‘Projeto Cegonha’ na manhã de hoje, há uma média mensal de 480 partos, número acima da capacidade da maternidade que é uma média de 350 partos no mês. “Ambos atendem ao território de Itapuã, Pau da Lima e Cajazeiras, por isso é importante que a Secretaria Municipal de Saúde realize a vinculação das gestantes de maneira adequada durante o pré-natal”, destacou. Ela informou que também visitou a gestante que teria parido sem assistência médica adequada, na Maternidade Albert Sabin. Na ocasião, foram identificadas algumas desconformidades que foram repassadas à direção da maternidade, como a necessidade de presença do acompanhante em todo o momento do internamento da gestante. A promotora de Justiça informou ainda que continuará monitorando o local. A Maternidade Albert Sabin possui 69 leitos e está terminando as obras de reforma no setor de atendimento de emergência, o qual deverá ser entregue ainda esta semana. “A vinculação das gestantes deve ocorrer de maneira adequada, impedindo que situações como a vivenciada pela gestante na Maternidade Albert Sabin se repita”, informou a promotora de Justiça.

Redator: Milena Miranda – Jornalista DRT Ba 2510

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *